<img height="1" width="1" style="display:none" src="https://www.facebook.com/tr?id=124432238231600&amp;ev=PageView&amp;noscript=1">

Blog Tuiuti

Radiodiagnóstico é questão de física. Entenda!

Postado por João Marcos on 03-09-2018 11:08

Com a evolução da medicina, o radiodiagnóstico adquiriu grande importância na prevenção e detecção de doenças. Trata-se de uma técnica minimamente invasiva que reproduz, de maneira nítida, imagens de órgãos e estruturas do corpo humano.

Assim como acontece em outras áreas da saúde, os profissionais que trabalham com radioterapia precisam se aprimorar continuamente, para acompanhar a evolução da tecnologia. Continue a leitura!

Radiodiagnóstico

Por que o conhecimento de Física é essencial para esse profissional?

A partir da descoberta do raio-X, em 1895, pelo físico Röentgen, os especialistas logo constataram sua aplicabilidade no campo da medicina. Do mesmo modo que podem trazer benefícios. Porém, a exposição à radiação de maneira inadequada pode trazer riscos aos envolvidos.

Nesse contexto, os operadores precisam entender os princípios básicos relacionados a radiologia, como os efeitos biológicos provocados pela radiação ionizante e o conhecimento das diferentes grandezas e unidades físicas, limites de doses e mecanismos de formação de imagens, por exemplo.

Quais são as principais funções do especialista em radiodiagnóstico?

São várias as atribuições que podem ser executadas por especialistas em radiodiagnóstico, dentre as quais podemos citar a operação de sistemas radiológicos sejam eles de uso médico ou odontológico, como equipamentos de mamografia, tomografia convencional ou computadorizada e câmeras multiformatos, entre outros.

Cabe a esse profissional também a responsabilidade por desenvolver parâmetros para aceitação e manutenção da qualidade desses equipamentos, bem como investigar índices de rejeição de radiografias em departamentos de radiodiagnóstico.

Destaca-se ainda a oportunidade de atuação na área de proteção radiológica, coordenando levantamentos radiométricos nos ambientes em que estão instalados os equipamentos, simultaneamente a proposição de medidas para reforçar a segurança.

Por último, o conhecimento de normas nacionais e internacionais que regulamentam o setor de radiologia também é essencial para quem deseja atuar em atividades relacionadas ao radiodiagnóstico ou radioterapia. Apoiando-se em seu conhecimento, o especialista estará apto a formatar ou ministrar treinamentos na área de radiologia.

O que você aprende ao longo da especialização?

A Especialização em Radiodiagnóstico Aplicado à Oncologia e Radioterapia almeja a capacitação e aprimoramento dos profissionais que executam procedimentos em radioterapia.

Encontrando um ponto de equilíbrio entre teoria e prática, a proposta é ampliar o conhecimento dos participantes para que eles tenham uma compreensão mais ampla sobre os diferentes tipos de tratamento, bem como a incorporação de recursos tecnológicos à radioterapia.

Como parte dessa proposta, o curso acompanha as diferentes etapas do tratamento radioterápico, enfatizando os princípios físicos e biológicos relacionados ao cotidiano do profissional atuante na radioterapia.

Igualmente importante é a preocupação com a qualidade dos equipamentos, bem como a preparação do profissional para as reações dos pacientes, instruindo-os sobre os comportamentos mais adequados.

Visando proporcionar uma formação diferenciada, uma oferta de estágio está vinculada aos participantes dessa especialização, para que eles tenham a oportunidade de vivenciar, na prática, os conhecimentos aperfeiçoados em sala de aula, acelerando a sua inserção no mercado de trabalho.

Na página do curso, você encontra outras informações – como duração, valores e grade curricular – sobre a Especialização em Radiodiagnóstico Aplicado à Oncologia e Radioterapia. Até a próxima!

Nova call-to-action

João Marcos

Escrito por João Marcos

Topics: especialização

Blog
Blog-1
Clique aqui e inscreva-se agora mesmo!

Assinatura de e-mail de blog

  

Posts por Tópico

Veja todos

Posts Recentes