6 curiosidades sobre o curso de Medicina Veterinária - Tuiuti

Postado por Maria Clara on 09-09-2022 18:11

Medicina veterinária

Se o curso de Medicina Veterinária está entre as suas opções de cursos para a formação superior, este post é para você! 

Existem diversas "opiniões formadas" sobre esse curso, muita gente acha que, para atuar na área, só é preciso gostar de animais ou que a única forma de atuação é em pet shops ou clínicas veterinárias. Mas isso não é verdade! 

Hoje, nós vamos desmistificar esses estigmas sobre a profissão e você vai sair deste post sabendo o que faz um veterinário, algumas informações sobre o curso de veterinária e curiosidades que valerão a pena ter conhecido. 


O que você vai ver neste post?


Vamos lá? 

O que se aprende na faculdade de Veterinária?

Na faculdade de Veterinária, o aluno aprende microbiologia, anatomia, nutrição, genética, produção animal, estatística (e matemática), bioética, doenças e patologias, técnicas clínicas, cirurgia animal, bioquímica estrutural e animal.

Durante o curso, você irá se dedicar a aprender os mais diversos temas que impactam a saúde animal para atuar com a prevenção, diagnóstico e tratamento de doenças.

Quanto custa a faculdade de Medicina Veterinária? 

Essa graduação tem duração de 10 semestres (5 anos) e os valores de mensalidade são diversos, a depender muito da instituição que você escolher, mas tirando como referência a Tuiuti, tal investimento gira em torno de R$ 2.200,00. 

Ao sair da graduação em veterinária, o profissional tem o título de bacharel em veterinária e pode atuar nos mais diversos segmentos da área. 

Como veremos mais à frente, existem várias áreas diferentes para atuar em veterinária - obviamente, sempre atreladas à saúde animal, mas em várias áreas de atuação. 

Vamos conhecer um pouco mais algumas curiosidades desse curso e da área de atuação.

  1. Veterinário precisa de registro para atuar na área

Assim como um médico (de humanos) precisa ter um CRM para atuar, o profissional da medicina veterinária também precisa de um registro no CRMV (Conselho Regional de Medicina Veterinária) para atuar na área. 

Esse registro é regional, então, assim que terminar a graduação ou ao final do período, o aluno deve procurar o CRMV da região em que mora e se inscrever para regulamentar a sua atuação. 

  1. Veterinária não se trata apenas de gostar de animais

É bem comum acreditar que, para cursar veterinária, o único requisito é gostar de animais, e isso não é verdade. 

De fato, trata-se de algo essencial, mas lembre-se de que você está prestes a encarar uma faculdade de Medicina, só que com foco em cuidar de animais e não de pessoas. É um curso muito mais complexo do que aparenta, afinal, você terá de lidar diretamente com uma vida!

Além de todos os desafios das disciplinas e grade curricular, o dia a dia pode oferecer inúmeras situações em que seja necessário muita empatia para lidar com pessoas (tanto com profissionais que irão trabalhar com você quanto com os responsáveis pelos animais), cautela para lidar com animais de diferentes portes e comportamentos. 

Ou seja, é preciso estudar muito e ter ciência de que não se trata apenas de gostar de animais. 

Veja também:

  1. O veterinário pode trabalhar em diversas áreas

Nem só de trabalhar com animais domésticos vivem os médicos veterinários! Embora a área clínica acabe sendo uma das principais escolhas para muitos profissionais recém-formados, o mercado de trabalho é bem amplo e existem diversas áreas que podem ser exploradas.

Algumas, aliás, em ascensão, como o trabalho com animais silvestres, dada a grande quantidade de animais que estão entrando em extinção.  

Esse profissional pode atuar na área clínica, laboratórios com análises de exames e doenças, pesquisas, cirurgia, pode se especializar no tratamento e cuidado de animais de grande porte, saúde pública (zoonose e controle de epidemia), inspeção sanitária, marketing de produtos para animais, área agroindustrial, alimentação e reprodução animal e muito mais.

  1. O mercado pet está crescendo no Brasil

De acordo com o IPB (Instituto Pet Brasil), a previsão é que, em 2022, exista um crescimento de 14% no setor de produtos, serviços e comércio de animais de estimação. Em 2021, o setor movimentou cerca de R$ 51,7 bilhões. 

Esse cenário traz diversos benefícios para aqueles que já atuam ou que ainda querem atuar na medicina veterinária, visto que o setor engloba diferentes áreas de atuação (como falamos no item 3), que vão desde Pet Food até a venda de animais diretamente pelos criadores, Pet Vet e Pet Care. 

  1. Veterinários precisam saber lidar com pessoas

Demos uma pincelada nesse tema no item 2, mas vale a pena falarmos só sobre ele. 

Isso porque os animaizinhos que serão seus pacientes não falam, logo, se você escolher atuar com a Veterinária clínica, deverá ter empatia e posicionamento ao conversar com os donos dos pets (independentemente do porte ou tipo de animal). 

Será preciso ter tato para conseguir respostas a algumas perguntas e, também, para oferecer o tratamento adequado para os casos necessários. Existem pessoas que não querem entender a situação do pet e, nesses casos, é preciso ter muito cuidado. 

Outro ponto importante: é preciso escolher bem as perguntas a serem feitas para os donos dos pets, isso porque eles nem sempre podem ter percebido algum comportamento diferente na rotina do animalzinho e, em alguns casos, uma simples consulta de rotina pode se tornar algo não programado e nem sempre positivo.

  1. Você pode ganhar muito carinho, mas não é só isso

Os animaizinhos são especiais e muitos estão dispostos a dar todo o amor e carinho, mas vez ou outra, pode rolar uma mordida ou alguns arranhões. 

A relação com os animais pode ser incrível, mas não deixa de ser perigosa. Lembre-se de que a medicina veterinária te prepara para lidar com diversos tipos de animais, desde cachorros e gatos até macacos, cobras e elefantes. 

Sempre que um animalzinho se sentir em um ambiente mais hostil, ele poderá atacar das mais diversas formas: mordidas, arranhões, cuspes etc. 

Imagine ser mordido por uma cobra ou ser atacado por um animal que esteja com alguma infecção grave. Complicado, não é? Mas é um risco da profissão! Por isso, antes de começar esse curso, tenha em mente que nem todos os dias vão ser fáceis, independentemente da sua área de atuação.

E então, conseguiu descobrir se a medicina veterinária é para você mesmo? Sem dúvida nenhuma, é uma área repleta de desafios, mas que, ao mesmo tempo, te ajudará a impactar inúmeras vidas, tanto de animais como de pessoas. 

Agora que você já sabe mais sobre o tema, deve estar se perguntando: "ok, e como se tornar veterinário?". 

Bom, o primeiro passo é se inscrever na próxima turma da sua faculdade no Paraná de Medicina Veterinária

Enquanto isso, você pode aproveitar para conferir este outro post aqui do blog que responde a uma pergunta muito comum dos nossos estudantes (e que poderá fazer parte da sua rotina no curso de Veterinária): Como criar um plano de estudos para estudar em casa?

Como criar um plano de estudos para estudar em casa?

Maria Clara

Escrito por Maria Clara

Topics: medicina veterinária

Vestibular Tuiuti 2022
Pós Graduação mestrado e doutorado
Pós Graduação Especialização
Clique aqui e inscreva-se agora mesmo!

Assinatura de e-mail de blog

  

Posts por Tópico

Veja todos

Posts Recentes